Nanocriogênio III

Instalação participante do FILE 2013.

Anna Barros e Alberto Blumenschein

A pesquisa que originou Nanocriogênio III, acontece entre arte e ciência, no âmbito da nanoarte e da nanotecnologia, buscando atualizar na arte qualidades pertencentes à escala nano, possibilitando sua experiência por parte do fruidor. Explora  o universo híbrido e multidisciplinar próprio dessa ciência, realizando-se no ambiente real e no virtual, tendo vídeos de  animações em 3D, quatro placas de cobre, matrizes da minha primeira exposição individual  de gravuras e uma  forma circular de gelo, processo industrial de congelamento.

As imagens trabalhadas nas animações são originadas de varreduras efetuadas no   Microscópio Eletrônico de Varredura, de amostras de minha unha e cabelo, os quais representam meu corpo como um todo, retrabalhadas em programas digitais. A escala nano e a real se mesclam na obra pois essas amostras surgem em vídeo sobre o gelo, na escala original, já preparadas para a varredura no microscópio.

As quatro placas de cobre estão ativadas por sensores de toque e fazem o fruidor, quando permanece pressionando-as, ouvir sonhos gravados, sonhos escolhidos de meu diário quando estava sob análise junguiana, por estarem no nível do inconsciente coletivo de Jung, tornando-os de maior apreensão. O som é mais baixo a demandar maior aproximação e maior atenção do fruidor. O processo de vivenciar a interatividade não se reduz a um jogo lúdico, mas  à experimentação de questões pertinentes à física quântica como a preponderância do sentido do tato e do háptico, sobre o visual.
É construída uma simbiose metafórica entre o processo científico de criogenia, congelamento pós-morte, para uma possível ressurreição, e o mundo da nanoarte inserido na  física quântica com qualidades para nós ainda consideradas mágicas devido às condições nesse ambiente: a da energia nos limites da matéria, com uma percepção nos domínios de sentidos vistos como secundários na nossa cultura. E também pelo fato de que a ciência ainda busca palavras para descrever o que acontece nesse mundo, pela dificuldade de compreensão de suas propriedades e pela falha do sentido semiótico usual das palavras para conceituá-lo.

As instalações oriundas dessa pesquisa são três, com diferentes organizações dos elementos constituintes, mostradas: em EmMeio#4.0, Museu Nacional da Republica, Brasília, 2012; Artech 2012, Universidade do Algarve, Portugal, premiada como Melhor Instalação e a presente.

Animações –   Nanocriogênio 2012  – Nanocriogênio 3012 –  CRIO Congelamento

fadon1

crio3
 Fotos: Carlos Fadon Vicente 2013
rafa1
Foto Rafael Munduruca
Esquema técnico

nanocrio_3_2013

A instalação é composta por duas partes distintas:
1. A tela de projeção que apresenta um loop das animações criadas por Anna Barros a partir das amostras recolhidas no Microscópio de Força Atômica.
2. O interator, ao tocar as placas de cobre, dispara um audio especíco com a narração de um sonho recolhido pela artista. Esse audio promove uma distorção no video que esta
projetado sobre o gelo no centro da instalação.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s